The Heart of the Time / O Coracão do Tempo

I was chosen as second best with my poem "The Heart of Time" in the writing competition of Brazilian-Portuguese Fraternity. / Fui no segundo lugar com meu poema "O Coracão do Tempo" no Concurso Internacional de Poesia de Confraria Cultural Brasil-Portugal.

El Corazon del Tiempo

The heart of time is made of half-moon shaped leaves, crumpled paper balls in bundles, crushed by wanderers’ shoes, Bits and Jack, and a miserable desire for talking hummingbirds in the heavens, from all of them and much more is made the heart of time. The heart of time talks only  to those who do not know, because those who know, do not have time to listen to it. Time itself has gone, because it cannot be forced into a mould, it always flows over the borders, escapes to the horizon, further away, it cannot be tamed, like a heart can be stopped from beating extra times, even a heart, which has lost its hope, a name, a mirror and an image on it, because a heart is always new, at every beat new, it overcomes mountains; even when its bearer is sleeping, it does not contain only one image, which would be superior to another, it is a democratic heart, it beats, without a pause, beats until the sun darkens in the sky and a song from the last bird fades away, far away. Still it beats, beats, beats, until a stone gets broken, a chain, an image, whatever, that makes the wind blow, the clouds move a human being to make him forget, to remember, time when the forest was the home of the heart, it lived under the bare sky with the birds, until worries began.


El Corazón del Tiempo

O coração do tempo é feito das folhas em forma de meia despedaças pelos sapatos dacaminhada, machucados bolas do papel amarratados tronos falando na noite verde,a haste do feijão, avágem e o João a vontade e os colibris faladores do céu; éfeito deles e muitas outras coisas acoração do tempo. O coração do tempo fala só para quem não sabe porqueeles que sabem, já não têm tempo para o ouvir. O tempo em si mesmo já passouporque não pode ser preso num molde escorre sempre pelos desvão escapa até ohorizonte mais longe, não pode ser domesticados, como o coração pode ser impedido de bater mais vezes, o coração que já perdeu a esperança, o nome, oespelho e a imágem, porque o coração é sempre novo, em cada nova batida, atravessa montanhas mesmo quando quem o porta dorme, não leva dentro de si uma só imágem que fosse mais valiosa que outra, é um coração democrático, bate,bate, bate, quando o sol escurece no céu e o canto do ultimo passáro se cala aolonge, contudo bate sem pausa até quebrar-se uma pedra, uma cadeia, uma imágem,um imaginário, qualquer coisa que faça o vento soprar as núvensmovimentar-em-se, uma pessoa esquerecer-se, lembrar-se o tempo quando afloresta era a casa do coração vivía ao céu aberto com os pássaros atécomeçarem os preocupações…

Comments

Popular posts from this blog

Kirjallisuus, valta ja vastuu -keskustelu huomenna

Sosiaalinen erakko

Surullisen hahmon ritari